quarta-feira, 26 de junho de 2019

CCIA considera um fracasso a situação do transporte de passageiros no início deste verão

A Câmara do Comércio e Indústria dos Açores (CCIA) analisou a situação do transporte de passageiros inter-ilhas, aéreo e marítimo, no início deste verão, considerando-o um fracasso. 

Para a Câmara do Comércio dos Açores, o problema torna-se mais grave, quando abrange as três empresas tuteladas pelo governo regional, prejudicando, simultaneamente, residentes e turistas, numa altura em que “muito se propala turismo de qualidade, que pressupõe serviços de qualidade”, adianta comunicado.

Desta forma, a CCIA entende ser prioritário a adoção de um novo modelo de obrigações de serviço público inter-ilhas, mais flexível e a ser aplicado já em 2020, atendendo a todas as contingências operacionais ocorridas ao longo deste ano. Referindo que à SATA Air Açores é “cometida a missão de ser o pilar principal do desenvolvimento das várias ilhas, distribuindo pelas mais pequenas, parte dos fluxos turísticos que nos procuram, utilizando as principais portas de entrada, existe, no momento, um modelo de obrigações de serviço público ultrapassado e desajustado da realidade atual, e que só termina em 2021”.

No que diz respeito à Azores Airlines e salientando o facto da empresa estar a seguir “um caminho sinuoso do ponto de vista operacional, sem aviões, sem pilotos, com cancelamentos constantes em ilhas como o Faial e Pico, e com despesas incontroláveis em ACMIs nas outras rotas, levando a que as perspetivas para 2019 já não fujam a mais uma catástrofe financeira para a empresa”, a Câmara do Comércio dos Açores considera fundamental uma “redefinição do modelo de negócio da empresa para o futuro imediato, sem o que a Região será arrastada para uma situação financeira ainda mais difícil do que a atual, com uma situação crónica de pagamentos em atraso a fornecedores”, explica o comunicado.

No caso do transporte marítimo, a CCIA refere que a Atlanticoline “parece já ser mais um caso incorrigível de falhas graves” e que ao fim de 20 anos ainda “não se conseguiu programar o serviço de barcos, a tempo e horas, repetindo-se os mesmos erros ano após ano”. Por isso, consideram que não é compreensível que a Atlanticoline “não receba indicações para praticar um planeamento plurianual, com barcos contratados para vários anos, permitindo o compromisso com horários e tarifas a tempo e horas, para que também sirva o turismo, o que, nas condições atuais, não é possível”.

A finalizar o comunicado, a Câmara do Comércio dos Açores sublinha que “em condições normais, os acionistas definem objetivos, contratam administradores profissionais, comprometem-se com a disponibilização de condições necessárias e facultam-lhes a liberdade necessária para que atinjam os objetivos definidos. Entende a CCIA que este deve ser o modelo a aplicar no Setor Público Empresarial Regional, o que não está a acontecer, há já demasiados anos”.


Fonte: AO Online


segunda-feira, 17 de junho de 2019

Dormidas nos Açores aumentam 27% no conjunto dos estabelecimentos hoteleiros

Nos Açores e no mês de abril, no conjunto dos estabelecimentos hoteleiros, turismo no espaço rural e alojamento local, registaram um acréscimo homólogo de 27%, atingindo 242,4 mil dormidas.

De acordo com o Serviço Regional de Estatística dos Açores, de janeiro a abril de 2019, no conjunto dos estabelecimentos hoteleiros (hotéis, hotéis apartamentos, apartamentos turísticos e pousadas), do turismo no espaço rural e do alojamento local dos Açores registaram-se 610,8 mil dormidas, valor superior em 17,4% ao registado em igual período de 2018.

No país, em abril, as dormidas registaram um acréscimo em termos homólogos de 9,5% e de janeiro a abril de 2019 apresentaram uma variação homóloga positiva de 3,9%.

Em termos de variações homólogas acumuladas, de janeiro a abril, as ilhas da Graciosa, de São Miguel, das Flores, do Pico, do Faial e de São Jorge apresentaram variações homólogas positivas, respetivamente de, 35,1%, 26,3%, 23,1%, 17,1%, 11,3% e 11,1%.

As ilhas de Santa Maria e da Terceira, apresentaram variações homólogas negativas, respetivamente de, 19,6% e 11,5%. A ilha de São Miguel com 449,9 mil dormidas concentrou 73,7% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 86,3 mil dormidas (14,1%), o Faial com 30,0 mil dormidas (4,9%) e o Pico com 18,9 mil dormidas (3,1%).

Nesse mesmo período, na Região os estabelecimentos hoteleiros registaram 166,7 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 12,7%.

De acordo com os dados do SREA, os proveitos totais atingiram 8,1 milhões de euros e os proveitos de aposento 5,9 milhões de euros, correspondendo a variações homólogas positivas, respetivamente, de 16,9% e de 17,2%.

De janeiro a abril de 2019, nos estabelecimentos hoteleiros da Região registaram-se 438,3 mil dormidas, valor superior em 5,4% ao registado em igual período de 2018.

Em termos de variações homólogas acumuladas, de janeiro a abril, as ilhas que apresentaram variações homólogas positivas foram as ilhas da Graciosa, de São Miguel e do Pico, com variações respetivamente de, 34,6%, 13,3% e 5,6%.

As ilhas do Corvo, de Santa Maria, da Terceira, de São Jorge, do Faial e das Flores, apresentaram variações negativas respetivamente de, 37,2%, 28,1%, 16,8%, 7,9%, 3,5% e 3,0%. A ilha de S. Miguel com 322,5 mil dormidas concentrou 73,6% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 68,8 mil dormidas (15,7%) e o Faial com 18,7 mil dormidas (4,3%).

O alojamento local registou nos Açores, no mês de abril, 71,7 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 79,6%, diz o SREA. De janeiro a abril de 2019, no alojamento local registaram-se 164,1 mil dormidas, valor superior em 66,3% ao registado em igual período de 2018.


Fonte: AO Online


sexta-feira, 7 de junho de 2019

Nova Oferta de Emprego: Promoção e Venda de Produtos Alimentares - Ilha Terceira


Atenção: nova oferta de emprego na Ilha Terceira!!!

Promoção e Venda de Produtos Alimentares!

Aceitam-se candidaturas até ao prazo limite de 12 de Junho!

Aproveite esta oportunidade!!!



sexta-feira, 31 de maio de 2019

Oferta de Emprego: Técnico de Multimédia - Ilha Terceira


Atenção: nova oferta de emprego na Ilha Terceira!!!

Procura-se Técnico de Multimédia!

Aproveite esta oportunidade!!!




Especialistas reúnem-se na Terceira para debater Alojamento Local

A Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira, acolhe sábado, dia 1 de junho, um seminário sobre Alojamento Local,a decorrer entre as 10 horas e as 13 horas.

Numa organização da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH),o seminário conta com dois painéis, sobre os temas: “Alojamento Local – estado atual e perspetivas futuras” e “Como maximizar a experiência do cliente e melhorar a rentabilidade de um Alojamento Local”.

Segundo comunicado, o objetivo é discutir esta tipologia de acomodação, que tem registado um crescimento muito acelerado no país e na Região, e dar a conhecer algumas das obrigações e atributos associados à atividade, bem como perspetivar como poderá evoluir num futuro próximo.

O primeiro painel conta com três oradores convidados, nomeadamente Ana Branco, do Turismo de Portugal, que vai abordar o “Estado atual e perspetivas futuras do Alojamento Local no país”, enquanto Leonor Santimano, da Direção Regional do Turismo, fará uma abordagem semelhante, mas centrada na realidade da Região. O painel finaliza Luis Sanchez Carvalho, da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, que vai centrar-se no “Impacto do turismo no desenvolvimento urbanístico dos centros urbanos”, com exemplos concretos de duas realidades distintas no continente português.

O segundo painel será mais centrado em casos de estudo, sobre a temática comum de “Como maximizar a experiência do cliente e melhorar a rentabilidade de um Alojamento Local”. Carla Reis, fundadora do projeto “Alojamento Local Esclarecimentos” e Miguel Rodrigues, proprietário do grupo de Alojamento Local “Feels Like Home”, no continente português, são os oradores deste painel.


Fonte: AO Online


sexta-feira, 24 de maio de 2019

Oferta de Emprego - Técnico/a de Lavandaria - Ilha Terceira


Atenção: nova oferta de emprego na Ilha Terceira!!!

Procura-se Técnico/a de Lavandaria!

Candidaturas até dia 15 de Junho!


Aproveite esta oportunidade!!!




quinta-feira, 23 de maio de 2019

Voos diretos entre a ilha Terceira e Toronto alargados ao inverno

Os voos diretos entre a ilha Terceira e Toronto (Canadá), operados pela companhia aérea açoriana Azores Airlines, do grupo SATA, vão estender-se ao inverno, em 2019 e 2020, anunciou o Governo Regional dos Açores. 

“A partir do próximo dia 05 de dezembro será iniciada uma operação aérea de ligação entre Toronto e a Terceira. Esta operação é levada à prática pela Azores Airlines e decorrerá até ao dia 22 de outubro de 2020”, adiantou a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, em Angra do Heroísmo, numa conferência conjunta com a secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro.

No total, serão realizadas entre dezembro de 2019 e outubro de 2020 mais 30 rotações do que em igual período no ano anterior, o que corresponde a mais 11.160 lugares e a um aumento de 176%.

“Serão oferecidas 47 rotações, correspondendo a 94 voos entre Toronto e a Terceira, 17 dos quais no inverno e 30 no verão”, avançou Ana Cunha, acrescentando que no total serão disponibilizados 17.484 lugares.

O executivo açoriano vai ainda lançar um concurso público para a realização de ações de 'marketing' e de promoção do destino junto do mercado canadiano, mas não são conhecidos ainda os valores do investimento.

“O mercado norte-americano é um dos mercados identificados no PEMTA [Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo dos Açores] como um dos mercados estratégicos”, frisou a secretária regional do Turismo, destacando o crescimento já verificado no número de turistas e nas receitas provenientes desse mercado.

Nos primeiros três meses de 2019, a ilha Terceira registou uma quebra de 17,3% nas dormidas nos diversos tipos de alojamento existentes, contrariando o crescimento de 11,4% registado em média no arquipélago.

A descida, justificada sobretudo com a suspensão dos voos diretos entre a Terceira e Madrid (Espanha), motivou críticas de empresários e de partidos da oposição.

Marta Guerreiro criticou as “visões mais cinzentas relativamente ao turismo” na ilha Terceira e defendeu que o destino tem “potencial”, necessitando apenas de “empenho, dinamismo comercial, cooperação e esforços de todos”.

A governante assegurou que a ligação direta a Madrid será “retomada ainda este ano” e lembrou que entre fevereiro e maio foram registadas 1.600 dormidas na hotelaria tradicional da ilha, na sequência de campanhas desenvolvidas em parceria com operadores nacionais.

A secretária regional do Turismo destacou ainda o acordo ‘interline’ virtual, da Azores Getaways, que disponibiliza, até março de 2020, pacotes e voos combinados entre a Delta Airlines e a SATA Air Açores, para que os passageiros que voam para Ponta Delgada (S. Miguel) possam chegar às restantes ilhas.

A companhia norte-americana Delta Airlines efetua voos diretos entre Nova Iorque e Ponta Delgada, todos os dias da semana, até 04 de setembro.

“No verão do ano passado, mesmo sem o ‘interline’, cerca de 8% dos passageiros desta rota visitaram a ilha Terceira”, apontou Marta Guerreiro.


Fonte: Lusa / AO Online